O conteúdo do Bitcatcha é patrocinado pelos leitores. Quando você compra algo pelos links em nosso site, nós recebemos uma comissão. Saiba mais

Como entrar na Dark Web com segurança: melhores práticas

Avatar
WRITTEN BY
UPDATED
September 24, 2021

 

A dark web ainda é vista por muitas pessoas como um ambiente destinado a atividades ilegais e perigosas. No entanto, a dark web tem se notabilizado cada vez mais pelo conteúdo de qualidade e troca de informações. Com isso, atrai profissionais, acadêmicos, ativistas, pessoas com hobbies diversos e muitos curiosos!

 

Por outro lado, a privacidade que esse ambiente oferece ainda atrai muitos usuários mal-intencionados. Então, é necessário tomar certos cuidados ao entrar na dark web.

 

Por isso, este artigo tem como foco o principal benefício de acessar a dark web pela rede Tor usando uma boa VPN: segurança.

 

 

Dark Web: como entrar e sair de forma segura

 

Apesar de parecer algo secreto e de difícil acesso para a maioria dos usuários de internet, entrar na dark web faz parte da rotina de muita gente – e não é algo tão complexo. Ainda assim, como já dissemos, seu uso requer atenção em relação a questões importantes de segurança e privacidade.

 

Confira a seguir um passo a passo para cumprir essa missão sem sobressaltos.

 

1. Requisitos básicos

 

A ferramenta mais conhecida para acessar a dark web é o navegador Tor. Seu nome é um acrônimo para The Onion Router, ou “a cebola roteadora”. O nome faz referência à principal característica do Tor: as camadas de proteção das quais dispõe para proteger a identidade dos usuários. Afinal, todas as requisições no navegador são roteadas diversas vezes para proporcionar a anonimização do acesso.

 

O Tor é uma ferramenta legal na maioria dos países, incluindo o Brasil. Então, você não precisa se preocupar com a possibilidade de estar fazendo algo ilegal. Basta acessar o site do Projeto Tor e baixar o navegador que dá acesso a essa rede. A situação seria bem diferente na China, Venezuela ou em outros poucos países onde o Tor é ilegal.

 

Site oficial do navegador Tor

Site oficial do navegador Tor.

 

Para usar o Tor, é preciso apenas ter um computador com sistema operacional Windows, Mac ou Linux. Há também a versão mobile, que roda em aparelhos com iOS (Apple) e Android. Em todo caso, lembre-se sempre de ter a aplicação atualizada, pois isso tem um grande impacto sobre a sua segurança.

 

 

2. Uma camada a mais de proteção: use uma VPN

 

Ok, tendo o Tor instalado em um dispositivo compatível, você já é capaz de acessar a dark web. Agora, será que isso é suficiente para ter uma experiência totalmente segura? Infelizmente, não. O Tor oferece três camadas de criptografia, exclui os dados de navegação ao longo de cada sessão e bloqueia o rastreamento dos usuários. Apesar disso tudo, a verdade é que o Tor ainda traz alguns perigos.

 

Um deles é o de que você seja rastreado pelas autoridades enquanto acessa conteúdo ilícito. Com o tanto de material ilícito ou perturbador que há por lá, podemos ver o ato de acessar a dark web como entrar em um labirinto, muitas vezes. Mesmo que não seja sua intenção, é possível que você acabe acessando o que não deveria. E, por mais difícil que seja isso ocorrer, hoje sabemos que é possível ser rastreado pelas autoridades na rede Tor.

 

Portanto, a melhor dica de segurança que podemos dar a quem pretende entrar na dark web é: use uma VPN. Assim, você terá novas camadas de segurança protegendo sua conexão – como novas cascas na onion. Todos os seus dados serão criptografados pela VPN. Com isso, seu anonimato fica bem mais resguardado.

 

2.1 Qual VPN usar para navegar na dark web?

 

Atualmente, nossa recomendação de VPN no Brasil, pensando na relação custo-benefício, é o Surfshark.

 

O Surfshark é seguro para navegar na dark web

O Surfshark é seguro para navegar na dark web.

 

Caso opte por fazer um plano de 2 anos, você pagará o equivalente a R$12,45 por mês. O Surfshark tem servidores realmente rápidos, inclusive no Brasil. Além disso, oferece conexões ilimitadas. Ou seja, você pode usá-lo em quantos dispositivos quiser, incluindo Windows, Mac OS e Linux, além de iOS, Android e navegadores.

 

Leia nossa avaliação do Surfshark para saber mais!

 

 

3. Acessando a Dark Web

 

A esta altura, você já baixou e instalou o Tor em seu dispositivo. Depois, contratou e ativou uma VPN. Chegou então a hora tão aguardada: entrar na dark web sem medo de que a Polícia Federal bata na porta da sua casa ou de acordar sem um rim em uma piscina cheia de gelo.

 

Acessar a dark web é simples. Em primeiro lugar, você terá que abrir o Tor (com a VPN ativada) e clicar em Connect. Desse modo, estará fazendo o roteamento da sua conexão na rede Tor. Você também pode marcar a opção Always connect automatically, caso queira que isso seja feito sempre ao abrir o navegador.

 

A interface de conexão do navegador Tor

A interface de conexão do navegador Tor.

 

Uma vez que a conexão tenha sido concluída, você estará navegando de forma anônima. A página inicial padrão do Tor é o DuckDuckGo, um mecanismo de busca que também existe na superfície da rede. Ao fazer uma pesquisa no DuckDuckGo, você encontrará resultados da web normal. Afinal, o Tor não serve apenas para acessar conteúdo da dark web. Ele é também uma forma de acessar sites “normais” anonimamente.

 

Para encontrar conteúdo “exclusivo” da dark web, você deverá seguir outros caminhos.

 

 

4. Como navegar na Dark Web

 

Quando acessamos a dark web, normalmente estamos interessados em entrar nos famosos sites .onion, que não estão ao nosso alcance quando usamos um navegador padrão. Os sites .onion incluem desde versões seguras de sites como o Facebook até páginas voltadas a discussões políticas, subcultura e, claro, atividades ilícitas.

 

Atualmente, há duas formas de acessar sites .onion pelo Tor. Você pode:

 

  • Digitar um endereço .onion conhecido diretamente na barra do navegador
  • Utilizar um diretório do Tor que permita encontrar sites .onion

 

Além da extensão .onion, esses endereços se caracterizam pelo uso de diversas letras e números, de forma aparentemente aleatória. Por exemplo, no momento em que este artigo foi escrito, o endereço .onion do Facebook (muito usado em países que restringem o acesso a essa rede social) era:

 

facebookwkhpilnemxj7asaniu7vnjjbiltxjqhye3mhbshg7kx5tfyd.onion

 

Ao entrar esse endereço na barra do Tor, você será levado(a) diretamente à versão .onion do Facebook. O mesmo ocorre com outros sites que contam com uma versão na dark web. No entanto, tenha em mente que esses endereços costumam ser alterados com alguma frequência.

 

Em muitos casos, claro, você não saberá qual é o endereço .onion da página que está procurando. Principalmente, se não tiver uma página específica em mente. Afinal, você pode estar interessado em um tema específico, em comprar algo ou simplesmente em matar a curiosidade sobre a dark web, sem destino certo.

 

Para ajudar os usuários nesse sentido, há diversos diretórios que reúnem endereços .onion sobre diversos assuntos. Um deles é o https://thehiddenwiki.org/, que pode ser acessado fora da rede Tor e traz opções de páginas sobre os mais variados temas. Aliás, alguns dos endereços listados são de outros diretórios, o que ajuda os usuários a expandir rapidamente suas buscas.

 

Outra opção popular é o OnionLand, que pode ser encontrado em:

 

3bbad7fauom4d6sgppalyqddsqbf5u5p56b5k5uk2zxsy3d6ey2jobad.onion

 

Nesse caso, o grande diferencial é a barra de buscas, com a qual é possível encontrar páginas da dark web a partir de palavras-chave. Além disso, você pode pesquisar pelos endereços mais populares no momento e encontrar listas de páginas atualizadas recentemente.

 

É importante ter em mente que diretórios e serviços de buscas podem trazer, muitas vezes, links inativos ou que redirecionam os usuários para novos endereços. Afinal, por razões de segurança, muitas dessas páginas deixam de existir ou trocam de endereço com uma frequência considerável na dark web.

 

 

5. Como sair da Dark Web com segurança

 

Não há muito mistério em sair da dark web. Quando você abre o navegador e se conecta à rede Tor, essa conexão não afeta outras aplicações do seu computador ou dispositivo móvel. Ou seja, você só navega pela dark web pelo próprio Tor, enquanto usa outros aplicativos usando sua conexão normal.

 

Logo, basta fechar o navegador Tor para sair totalmente da dark web. O mesmo ocorre se você desligar seu computador, por exemplo – a conexão à rede Tor é imediatamente interrompida. Nossa recomendação, claro, é manter a VPN ativa enquanto você estiver na dark web, deixando para desativá-la apenas quando tiver fechado o Tor.

 

 

Práticas de segurança na Dark Web

 

Já falamos sobre a importância de usar uma VPN ao navegar pela dark web. No entanto, há outros aspectos importantes a se levar em conta ao acessar essa rede, pensando em sua própria segurança. A seguir, listamos algumas das práticas mais recomendadas nesse sentido:

 

  • Confira os serviços rodando em segundo plano
    Enquanto estiver conectado à dark web, confira se há aplicações estranhas rodando em segundo plano no seu computador. Uma olhada de tempos em tempos não faz mal e pode ajudá-lo a detectar atividades anormais.
  • Pague apenas com criptomoedas
    Ao comprar algo na dark web, jamais use seu cartão de crédito ou outro método de pagamento que possa ser fraudado ou que revele sua identidade. Pague sempre com criptomoedas como Bitcoin ou Ethereum. Há também criptos focadas especificamente em segurança, como a Monero.
  • Feche outros aplicativos
    Esse é um hábito relativamente simples, mas que pode fazer uma diferença enorme. Antes de entrar na dark web, feche outros aplicativos e tape sua webcam. Assim, você diminui possíveis formas de ataque e pode navegar com mais segurança.
  • Quer ir além? Use o Tails
    Se você ainda se sente inseguro, uma boa opção é acessar a dark web com o Tails. Essa distro Linux baseada no Debian tem como vantagem o fato de não deixar qualquer rastro de navegação: nada de cookies, arquivos temporários etc.

 

O que é a Dark Web?

 

A dark web, também conhecida como “internet obscura”, refere-se a partes da internet que não estão disponíveis ao usuário comum pelos meios convencionais. Afinal, ela é formada por servidores de rede que só podem ser acessados com software e configurações específicas. Ao mesmo tempo, a dark web não está indexada em mecanismos de busca padrão e pode exigir autorização de acesso.

 

A dark web é formada por diversas darknets, como redes pequenas peer-to-peer e redes maiores, como a Freenet, o I2P e, claro, a rede Tor. Essas redes são operadas por indivíduos ou organizações independentes e, normalmente, têm seu tráfego inteiramente criptografado. Desse modo opõem-se à rede superficial, apelidada de “clearnet”.

 

Devido à privacidade que a dark web oferece aos usuários, podemos encontrar muita coisa nela, hoje em dia. Isso inclui, por exemplo:

 

  • Versões .onion de redes sociais como o Facebook
  • Fóruns sobre temas diversos
  • Ativismo político
  • Conteúdo sobre hacking e compartilhamento de senhas
  • Lojas de produtos diversos, como gibis e aparelhos eletrônicos
  • Comércio de criptomoedas e informações sobre o assunto
  • Venda de dados pessoais, cartões de crédito clonados e documentos falsos
  • Comércio de armas, drogas e animais exóticos
  • Conteúdo pornográfico e de pedofilia

 

Ou seja, há conteúdo perfeitamente legal, bem como atividades ilícitas. A privacidade da dark web pode ser valiosa por diferentes motivos.

 

 

Dark Web e Deep Web: qual a diferença?

 

O conteúdo da dark web não pode ser acessado na superfície

O conteúdo da dark web não pode ser acessado na superfície.

 

É comum haver confusão entre dark web e deep web. Afinal, em ambos os casos, estamos falando de partes da rede que não são indexadas em mecanismos de buscas e não podem ser acessadas por qualquer pessoa.

 

No entanto, há uma grande diferença entre uma e outra: o que “barra” o acesso do usuário comum ao conteúdo da deep web é a exigência de credenciais de usuário ou a existência de um paywall, por exemplo. Nessa categoria, pode estar a intranet da empresa onde você trabalha, fóruns privados, ambientes de home banking e outros ambientes fechados.

 

Já a dark web, além de não estar indexada em mecanismos de busca padrão, como o Google, só pode ser acessada por meio de ferramentas específicas. Os sites .onion, por exemplo, só funcionam com o Tor. Ou seja, você não poderá entrar em um desses sites com uma conexão normal à internet, como ocorre no caso da deep web.

 

 

Posso usar uma VPN grátis para navegar na Dark Web?

 

Serviços de VPN grátis podem parecer uma opção interessante, em muitos casos, mas não são uma boa ideia quando o que está em jogo é a sua segurança. Essencialmente, eles não oferecem qualquer proteção real aos usuários. Então, recomendamos que você procure um serviço de VPN com bom custo-benefício, como o Surfshark, se quiser entrar na dark web.

 

Serviços pagos de VPN oferecem proteção a muitas ameaças típicas da dark web, ao contrário de suas versões gratuitas. No quesito segurança, você recebe conforme o que você está pagando – no caso das VPNs grátis: nada.

 

À primeira vista, pode parecer tão tranquilo acessar a dark web como entrar num site qualquer com sua conexão padrão. Afinal, o próprio Tor (que é uma versão modificada do Firefox) se parece com qualquer outro navegador. No entanto, na dark web, você fica mais sujeito(a) a ameaças como:

 

  • Malware
  • Phishing
  • Monitoramento do governo

 

 

Conclusão: Não acesse a dark web sem uma VPN

 

Entrar na dark web pode ser uma experiência interessante e relativamente simples, como vimos neste artigo. No entanto, há certos cuidados que são imprescindíveis, se você quiser navegar com segurança. É essencial, por exemplo, usar apenas o navegador Tor baixado diretamente do site oficial. Além disso, fique de olho nas aplicações que estão rodando em segundo plano e mantenha outros programas fechados enquanto navega na dark web.

 

Agora, se você deseja melhorar sua proteção e privacidade, nada terá um impacto maior que o uso de uma boa VPN. É essencial pagar por uma VPN confiável e que ofereça uma boa camada de segurança para sua conexão à dark web.

 

Nossa recomendação, considerando custo-benefício, é o Surfshark – simplesmente porque essa VPN oferece uma gama enorme de recursos por preços realmente baixos. Alternativamente, você pode conferir nosso artigo com o Top 7 VPNs do momento, para conhecer mais opções como o Surfshark.